PECADO: JUDAS, ÓDIO AO PECADO

EVANGELHO – Jo 12, 1-11

Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi para Betânia, onde morava Lázaro, que ele havia ressuscitado dos mortos. Ali ofereceram a Jesus um jantar; Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Maria, tomando quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa inteira ficou cheia do perfume do bálsamo. Então, falou Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar: “Por que não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para as dar aos pobres?” Judas falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão; ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela. Jesus, porém, disse: “Deixa-a; ela fez isto em vista do dia de minha sepultura. Pobres, sempre os tereis convosco, enquanto a mim, nem sempre me tereis”. Muitos judeus, tendo sabido que Jesus estava em Betânia, foram para lá, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Jesus havia ressuscitado dos mortos. Então, os sumos sacerdotes decidiram matar também Lázaro, porque, por causa dele, muitos deixavam os judeus e acreditavam em Jesus.
– Palavra da Salvação
– Glória a vós, Senhor

Olhar para Jesus: Como disse ontem, Jesus dormirá estes dias na casa dos irmãos Marta, Maria e Lázaro. E lá haverá este episódio narrado no Evangelho de hoje onde, estando num jantar, apareceu uma mulher chamada Maria e ungiu os pés de Jesus derramando meio litro de perfume de nardo puro e muito caro e enxugou os seus pés com os seus cabelos.

Nesta hora, Judas Iscariotes, um dos doze Apóstolos e que trairia Jesus, disse esta frase: “Por que não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para as dar aos pobres?” E é interessante o que diz em seguida São João, quem é quem escreve o Evangelho. Diz que Judas Iscariotes “falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão; ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela”. E aqui São João explica o que aconteceu com Judas Iscariotes, o que o fez chegar a este dia e trair Jesus.

Tudo começou por roubar o dinheiro que ficava na bolsa comum. Jesus e os Apóstolos tinham uma bolsa comum de dinheiro e Judas era quem cuidava dela. Em determinado dia, movido por avareza, começou a roubar algum dinheiro.

Os santos dizem que todo pecado grave começa sendo pequeno. É isso que vemos em Judas. Todos nos perguntamos: como é possível que Judas, convivendo com Jesus Cristo, que é o próprio Deus, convivendo com uma pessoa absolutamente encantadora, santa, amável, amiga, alegre, e todas as virtudes que poderíamos destacar, vendo tantos milagres, pode trai-lo? A explicação é que tudo começou por um pequeno pecado e depois outro e depois outro, até que o seu coração se tornou totalmente frio para Jesus, não vendo mais o seu encanto, não vendo mais sentido nas suas palavras. Jesus já havia dito que não podemos servir a dois senhores, pois ou amaremos a um e odiaremos o outro ou odiaremos a um e amaremos o outro.

No fundo, quando pecamos, o outro deus somos nós mesmos. Ao invés de servir a Deus, queremos servir a nós mesmos. No caso de Judas, o seu deus passou a ser ele mesmo, através do dinheiro, pondo o coração no dinheiro. E, como o príncipe do mal é o demônio, caímos nas garras do demônio e, por extensão, o demônio passa a ser o nosso deus.

Se pecamos e nos arrependemos, se pecamos e voltamos para Deus, tudo volta ao seu curso normal. Porém se pecamos e não nos arrependemos e continuamos a pecar, passamos a servir a nós mesmos e Deus vai deixando de ocupar o lugar que deve ocupar, vai sumindo do nosso horizonte. É este processo que explica o esfriamento do coração humano e, concretamente, o de Judas, e chegar ao ponto de entregar Jesus, o próprio Deus, nas mãos daqueles que o odiavam para ser morto.

Até pouco tempo atrás era comum a malhação de Judas. Não era um costume muito cristão, pois Cristo nos ensina a não ter ódio por ninguém. Porém, é cristão ter ódio, não ao pecador, mas ao pecado. Que a história de Judas nos sirva para termos ódio ao pecado, pois o pecado é servir a nós mesmos, tornando-nos em terríveis tiranos e nos leva a matar a Deus e matar o próximo. E tudo pode começar por algo praticamente inofensivo. Pensemos nisso!

PECADO: JUDAS, ÓDIO AO PECADO

You may also like

PROVIDÊNCIA DIVINA (5): JESUS NUNCA CHEGA TARDE: FILHA DE JAIRO E LÁZARO
EVANGELHO - Jo 6, 16-21 Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao ...
PROVIDÊNCIA DIVINA (4): EXEMPLO GRÁFICO DE JESUS
EVANGELHO - Jo 6, 1-15 Naquele tempo, Jesus foi para o outro lado do ...
PROVIDÊNCIA DIVINA (3): PALAVRAS DE JESUS
EVANGELHO - Jo 3, 31-36 "Aquele que vem do alto está acima de todos. O ...
PROVIDÊNCIA DIVINA (2): DEUS É PAI (2)
EVANGELHO - Jo 3, 16-21 Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho ...
PROVIDÊNCIA DIVINA (1): DEUS É PAI (1)
EVANGELHO - Jo 3, 7b-15 Naquele tempo disse Jesus a Nicodemos: Vós ...
MISERICÓRDIA DE DEUS: FESTA DA MISERICÓRDIA
EVANGELHO - Jo 20, 19-31 Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da ...
ESPERANÇA (6): NÃO TER MEDO DE PERDER OS BENS EFÊMEROS
EVANGELHO - Jo 21, 1-14 Naquele tempo: Jesus apareceu de novo aos ...
ESPERANÇA (2): LIÇÃO DE JESUS COM MARIA MADALENA
EVANGELHO - Mt 28, 8-15 Naquele tempo: As mulheres partiram depressa ...
PÁSCOA: ESPERANÇA (1): DEUS TRANSFORMA A MORTE EM VIDA
EVANGELHO - Jo 20, 1-9 No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ...
Page 1 of 18
Rolar para o topo