PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO: FECHAR-SE PARA DEUS

EVANGELHO – Mc 3, 22-30

Naquele tempo, os mestres da Lei, que tinham vindo de Jerusalém, diziam que ele estava possuído por Belzebu, e que pelo príncipe dos demônios ele expulsava os Demônios. Então Jesus os chamou e falou-lhes em parábolas: “Como é que Satanás pode expulsar a Satanás? Se um reino se divide contra si mesmo, ele não poderá manter-se. Se uma família se divide contra si mesma, ela não poderá manter-se. Assim, se Satanás se levanta contra si mesmo e se divide, não poderá sobreviver, mas será destruído. Ninguém pode entrar na casa de um homem forte para roubar seus bens, sem antes o amarrar. Só depois poderá saquear sua casa. Em verdade vos digo: tudo será perdoado aos homens, tanto os pecados, como qualquer blasfêmia que tiverem dito. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo, nunca será perdoado, mas será culpado de um pecado eterno”. Jesus falou isso, porque diziam: “Ele está possuído por um espírito mau”.
– Palavra da Salvação
– Glória a vós, Senhor

Olhar para Jesus:
Outro dia nós vimos que os familiares de Jesus diziam que Ele estava possuído pelo demônio. Hoje nós vemos os fariseus dizerem isto. E farão muitas vezes ao longo da vida pública de Jesus. E dirão, inclusive, que é pelo príncipe dos demônios, Satanás, que ele expulsa os demônios.

Aí, então, Jesus dá uma resposta simples que deixa os fariseus sem resposta. Não poderia ser de outra forma, pois Jesus é a Sabedoria Infinita. “Como é que Satanás pode expulsar a Satanás? Se um reino se divide contra si mesmo, ele não poderá manter-se. Se uma família se divide contra si mesma, ela não poderá manter-se. Assim, se Satanás se levanta contra si mesmo e se divide, não poderá sobreviver, mas será destruído”.

Ou seja, Jesus está expulsando os demônios, pois é o próprio Deus. Porém, os fariseus não querem aceitar essa verdade. Por isso, Nosso Senhor falou em seguida sobre o pecado contra o Espírito Santo que nunca será perdoado. Vamos entender o que Jesus quis dizer com isso.

“Em verdade, vos digo: tudo será perdoado aos homens, tanto os pecados, como qualquer blasfêmia que tiverem dito. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo, nunca será perdoado, mas será culpado de um pecado eterno” (Mc 3, 28-29). São palavras fortes de Jesus, que sempre impressionam.

Para São Tomás de Aquino, o pecado contra o Espírito Santo não pode ser perdoado “por excluir os meios que levam ao perdão dos pecados”; não é Deus quem se nega a perdoar, e sim o próprio homem que dá as costas a seu poder misericordioso. Este pecado consiste “na recusa de aceitar a salvação que Deus oferece ao homem, mediante o próprio Espírito Santo”. Deus, como bom Pai, não se cansa de oferecer sua salvação. E o Espírito Santo sempre procura clarear nosso olhar sobre as próprias faltas, para levar-nos à conversão e à penitência. Nós, porém, como os fariseus do Evangelho, podemos fechar-nos a este oferecimento, podemos negar-nos à conversão, podemos tornar nossa consciência impermeável e perseverar no mal. É o que a Sagrada Escritura costuma chamar “dureza de coração” (cfr Sl 81, 13; Jr 7, 24; Mc 3, 5).

Podemos pedir ao Senhor que nos dê um coração humilde e sensível reconhecendo o bem e o mal dentro de nós. O Espírito Santo, se formos dóceis aos toques de sua graça, sempre nos ajudará a perceber-nos necessitados do perdão de Deus.

Se o pecado contra o Espírito Santo consiste em fechar radicalmente a alma à ação salvadora de Deus, a santidade, pelo contrário, consiste numa “permanente abertura a Deus e numa luta para fazer crescer o dom da graça que Ele nos oferece continuamente”. Quando entendermos que a santidade é uma “relação de amor com Deus”, poderemos então buscá-la realmente em nossa vida cotidiana: no trabalho, na família, nas relações de amizade, etc.

O clima da nossa santidade é o do amor e da misericórdia de Deus e não de alguém que coleciona uma folha cheia de condecorações. Santidade nada mais é do que querer que o nosso Pai se alegre conosco. A santidade não é sinônimo de perfeição, mas de amor, de um amor que vai crescendo a cada dia, sobretudo vendo em tantos pormenores o amor que Deus nos tem.

Lição: Que nunca nos fechemos para o amor de Deus. Sejamos humildes, reconheçamos os nossos pecados, estudemos a fundo o que ofende a Deus e peçamos sempre perdão a Deus. Assim nunca cairemos no pecado contra o Espírito Santo.

PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO: FECHAR-SE PARA DEUS

You may also like

SACERDOTES: SUA DIGNIDADE, REZAR POR ELES
EVANGELHO - Mc 6, 7-13 Naquele tempo: Jesus chamou os doze, e começou ...
APOSTOLADO: NOSSA PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO
EVANGELHO - Mc 6, 1-6 Naquele tempo, Jesus foi a Nazaré, sua terra, e ...
FÉ: DIANTE DOS PERIGOSOS; TEMPESTADE ACALMADA
EVANGELHO - Mc 4, 35-41 Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a ...
APOSTOLADO: SER COMO O GRÃO DE MOSTARDA
EVANGELHO - Mc 4, 26-34 Naquele tempo, Jesus disse à multidão: “O ...
ESPÍRITO SANTO: PECADO CONTRA ELE
EVANGELHO - Mc 3, 20-35 Naquele tempo, Jesus voltou para casa com os ...
EUCARISTIA: CORPUS CHRISTI (5)
EVANGELHO - Mc 12, 18-27 Naquele tempo: Vieram ter com Jesus alguns ...
EUCARISTIA: CORPUS CHRISTI (4)
EVANGELHO - Mc 12, 13-17 Naquele tempo, as autoridades mandaram alguns ...
EUCARISTIA: CORPUS CHRISTI (3)
EVANGELHO - Mc 12, 1-12 Naquele tempo, Jesus começou a falar aos sumos ...
DOMINGO: DIA DO SENHOR
EVANGELHO - Mc 2, 23 - 3, 6 Jesus estava passando por uns campos de ...
Page 1 of 10
Rolar para o topo