JESUS CRISTO (12): O AMOR POR ELE (1)

EVANGELHO Mc 8, 11-13

Naquele tempo: Os fariseus vieram e começaram a discutir com Jesus. E, para pô-lo à prova, pediam-lhe um sinal do céu. Mas Jesus deu um suspiro profundo e disse: “Por que esta gente pede um sinal? Em verdade vos digo, a esta gente não será dado nenhum sinal”. E, deixando-os, Jesus entrou de novo na barca e se dirigiu para a outra margem.
– Palavra da Salvação
– Glória a vós, Senhor

Olhar para Jesus:
como vimos na sexta-feira, Jesus havia acabado de fazer o milagre da multiplicação dos pães e dos peixes, que é mais uma prova de que Jesus é o Filho de Deus, é o Messias tão esperado e agora, logo após este milagre, os fariseus pedem um sinal a Jesus.

E Jesus fica chocado: como é possível tanta dureza de coração? Por que pedem um sinal? A resposta é um decidido não. Não haverá nenhum sinal.

Os fariseus procuram Jesus com más intenções: não para ouvir sua palavra, mas para contradizê-la. E como não conseguem derrotá-lo verbalmente, pedem-lhe que prove a sua verdade com um sinal do céu. Não é a primeira vez que vemos Jesus “cheio de ira e tristeza, porque eram duros de coração” (Marcos 3, 5).

Que sinal pode servir para os corações endurecidos? Nenhum. Ao contrário, o sinal é não lhes dar nenhum sinal. Deve ter sido muito doloroso para Jesus ter que deixá-los sem poder praticar a misericórdia com eles. Talvez tenha sido a única saída para eles, para sua possível conversão. Como São Josemaria nos ensina, “Jesus nunca se mostra distante ou altaneiro. Por vezes, durante os seus anos de pregação, chegamos a vê-lo desgostoso, por lhe doer a maldade humana. Mas, se prestamos um pouco de atenção, logo compreendemos que o desgosto e a ira lhe nascem do amor: são um novo convite para que abandonemos a infidelidade e o pecado”.

Procuremos rezar hoje para as pessoas que têm o coração fechado para Deus, para Jesus, para que abram seus corações e acolham a Palavra de Deus.

Continuando a nossa série sobre Jesus, gostaria de nas próximas semanas ajudar vocês a terem amor a Nosso Senhor. O amor a Jesus, o amor a Deus, é o cerne da vida espiritual.

Sempre me impressionou ver filhos de pais muito católicos que quando chegam no período da adolescência largam toda a prática religiosa, não vão mais à missa e alguns até viram ateus. Eu me perguntava: por que isso acontece? Estas crianças não aprenderam a rezar desde pequenos? E por que largam tudo?

A resposta é muito simples: estas crianças aprenderam a rezar, a cumprir os mandamentos, mas faltou-lhes chegar ao cerne da vida espiritual: ter um encontro real, verdadeiro, com Cristo. Há três caminhos para chegar a este encontro: o caminho da fé, o caminho da razão e o caminho da dor.

Comecemos por um caminho mais conhecido que é o caminho da dor. Quantas pessoas têm um encontro com Cristo ocasionado pela dor.

Estou lembrando agora de um amigo que conheci um tempo atrás. Sendo muito jovem, ficou sozinho com a perda dos seus pais e avós e não tendo irmãos. Tentou levar o comércio do seu pai adiante, mas faliu. Foi parar na rua. Nesta situação, uma pessoa conhecida lhe deu uma oportunidade para vender relógios. Com isto foi crescendo, crescendo, e hoje tem uma boa condição de vida. Toda esta situação fez com que se apegasse muito a Deus e tornou-se uma pessoa de muita fé com um grande amor a Jesus. Muitas pessoas jovens, meu amigo ainda não fez 40 anos, que vivem numa condição econômica boa, como a que ele vive, estão muito afastadas de Deus. Mas, para este meu amigo, o amor a Deus, o amor a Jesus, é marcante.

Pensando nas crianças, tirando as de condição social mais baixa, é difícil que passem por um momento sério de dor. Então este não costuma ser um caminho de encontro com Deus para muitas delas.

Os pais aqui podem pensar como fazer para que seus filhos tenham um encontro pessoal com Cristo. Nós também podemos pensar como fazer com que pessoas conhecidas que estão afastadas de Deus tenham este encontro com Cristo. Se passarem pela dor, esta será uma grande ocasião para isso, pois como dizia C. S. Lewis, a dor é um megafone de Deus.

E vocês que estão ouvindo esta homilia pensem se vocês já têm uma intimidade profunda com Cristo, um desejo grande de estar na sua companhia, de parar para rezar, se a vida de vocês é como dizia São Paulo, uma vida escondida com Cristo em Deus. Uma vida com Cristo e desta união realizo todas as minhas ações. Se isto ainda não é uma realidade, vamos atrás dela com todas as forças, pois é aí onde devemos chegar.

JESUS CRISTO (12): O AMOR POR ELE (1)

You may also like

SACERDOTES: SUA DIGNIDADE, REZAR POR ELES
EVANGELHO - Mc 6, 7-13 Naquele tempo: Jesus chamou os doze, e começou ...
JESUS CRISTO: O AMOR POR ELE (4)
EVANGELHO - Mt 9, 18-26 Enquanto Jesus estava falando, um chefe ...
APOSTOLADO: NOSSA PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO
EVANGELHO - Mc 6, 1-6 Naquele tempo, Jesus foi a Nazaré, sua terra, e ...
DOUTRINA (14): JESUS CRISTO (2)
EVANGELHO - Mt 7, 15-20 Naquele tempo, disse Jesus aos seus ...
FÉ: DIANTE DOS PERIGOSOS; TEMPESTADE ACALMADA
EVANGELHO - Mc 4, 35-41 Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a ...
APOSTOLADO: SER COMO O GRÃO DE MOSTARDA
EVANGELHO - Mc 4, 26-34 Naquele tempo, Jesus disse à multidão: “O ...
ESPÍRITO SANTO: PECADO CONTRA ELE
EVANGELHO - Mc 3, 20-35 Naquele tempo, Jesus voltou para casa com os ...
JESUS CRISTO: SEU SAGRADO CORAÇÃO
EVANGELHO - Jo 19, 31-37 Os judeus temeram que os corpos ficassem na ...
EUCARISTIA: CORPUS CHRISTI (5)
EVANGELHO - Mc 12, 18-27 Naquele tempo: Vieram ter com Jesus alguns ...
Page 1 of 16
Rolar para o topo