NOSSA SENHORA: SUA APRESENTAÇÃO, LIDANDO COM A INFECUNDIDADE

EVANGELHO – Mt 12, 46-50

Naquele tempo: Enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo”. Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?”
E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos.
Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.
– Palavra da Salvação
– Glória a vós, Senhor

Olhar para Jesus:
como dissemos, hoje é a festa da Apresentação de Nossa Senhora. Nós lembramos neste dia, uma piedosa tradição, que diz que a nossa mãe foi viver no Templo de Jerusalém desde pequena para se consagrar ao Senhor. Várias místicas dizem que São Joaquim e Sant’Ana, que são nossos avós, por serem os pais de Nossa Senhora, não conseguiam ter filhos e pedindo esta graça, prometem a Deus que se vierem a ter algum filho, ela ou ele será consagrado a Deus.

A venerável Maria de Jesus Agreda, que teve a graça de ver toda a vida de Nossa Senhora, conta que São Joaquim e Sant’Ana eram muito santos. E vemos, então, que não é à toa que são os pais da Santíssima Virgem. Eles aceitavam com toda serenidade a vontade de Deus, mesmo a infecundidade, apesar de quererem muito ter filhos. Depois de 20 anos de casados, deram à luz Maria Santíssima. Imaginem a alegria dos nossos avós!

E, conforme haviam prometido, levaram Nossa Senhora para o Templo a fim de ser consagrada ao Senhor e viver junto ao Templo. A Santíssima Virgem viverá completamente consagrada a Deus até o momento do seu casamento com São José. A festa de hoje lembra este dia em que nossa Mãe foi levada ao Templo, foi apresentada e consagrada ao Senhor.

Podemos tirar muitas lições desta festa. Hoje gostaria de considerar a dor que sentiram São Joaquim e Sant’Ana naqueles anos de infecundidade. O sofrimento deles tinha um agravante, pois a infecundidade era vista como um castigo de Deus, pois todas as mulheres tinham o sonho de pertencerem à linhagem da qual nasceria o Salvador.

Quantos casais hoje sofrem por não conseguirem engravidar. Para estes casais, gostariam de dirigir-lhes estas palavras:

1) Deus pode tudo. Portanto, nunca percam a esperança. A história de São Joaquim e Sant’Ana se repetem em muitos casais na Bíblia. Podemos pensar em Sara, esposa de Abraão, em Rebeca, esposa de Isaac, em Raquel, esposa de Jacó, só para citar as esposas dos três primeiros patriarcas. Em muitos casos a infecundidade foi um caminho escolhido por Deus para preparar o casal para coisas grandes.

2) Apesar de soar um pouco duro, a vida não é um direito. A vida é um dom de Deus, um dom sagrado. O querer ter um filho à toda custa, vai contra os planos de Deus. Neste sentido, a Igreja proíbe a fecundação artificial. Qual o motivo? É este: a sacralidade da vida impede que ela seja manuseada em laboratório. Uma vida não pode ser objeto de manipulação de nenhum tipo. Justamente por contrariar a lei de Deus, esta manipulação se presta a muitas aberrações como congelar embriões, descartá-los, gerar embriões de todas as formas e combinações etc.

3) Por trás de tudo que Deus faz, o que visa é a nossa felicidade. Uma felicidade que começa nesta terra e culmina na Céu, onde ela será infinita e para sempre. Se sabemos nos entregar nas mãos de Deus, vemos como Deus sabe o que faz, apesar de que seus pensamentos não são os nossos pensamentos, como diz a Bíblia. Por trás de tudo está a confiança absoluta em Deus e nos seus caminhos. Deus jamais deixou de ganhar em generosidade.

4) A Igreja vê com bons olhos a adoção. Como faz bem para uma criança abandonada que esteja no seio de uma família, que é núcleo por excelência do amor!

4) Os casais que não têm filhos, podem ter muitos “filhos espirituais” e têm mais disponibilidade para fazer coisas muito bonitas na sociedade. E o que podem fazer é um mar sem praia.

Que estas considerações possam ajudar muitos casais que passam por estes problemas e que encontrem em São Joaquim e Sant’Ana poderosos intercessores, mesmo que nunca engravidem. Eles foram escolhidos por Deus para serem, nada mais nada menos, que os pais de Maria Santíssima e souberam sempre amar a vontade de Deus.

NOSSA SENHORA: SUA APRESENTAÇÃO, LIDANDO COM A INFECUNDIDADE

You may also like

DOUTRINA (14): JESUS CRISTO (2)
EVANGELHO - Mt 7, 15-20 Naquele tempo, disse Jesus aos seus ...
CARIDADE (18): COMPREENDER (3)
EVANGELHO - Mt 7, 6.12-14 Naquele tempo, disse Jesus aos seus ...
BÍBLIA (22): INÍCIO E FIM DOS REINOS DO NORTE E SUL
EVANGELHO - Mt 6, 24-34 Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: ...
SÃO LUIZ GONZAGA: EXEMPLO DE DESPRENDIMENTO
EVANGELHO - Mt 6, 19-23 Naquele tempo, disse Jesus aos seus ...
SACRÁRIO: PROMESSAS DE JESUS
EVANGELHO - Mt 6, 7-15 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: ...
BÍBLIA (22): O REINO DE ISRAEL DIVIDIDO
EVANGELHO - Mt 5, 33-37 Naquele tempo, disse Jesus aos seus ...
Page 2 of 28
Rolar para o topo