CARIDADE: AMAR NOSSOS INIMIGOS

EVANGELHO – Mt 5, 43-48

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Vós ouvistes o que foi dito: “Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!” Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos. Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa?
Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.
– Palavra da Salvação
– Glória a vós, Senhor

Olhar para Jesus:
No Evangelho de hoje Jesus chega ao ápice da caridade: amar os nossos inimigos, rezar, fazer o bem a quem nos persegue. Assim nos tornaremos filhos do nosso Pai, pois Deus é bom para os bons e para os maus fazendo nascer o sol e cair a chuva para ambos. O sol e a chuva aqui são sinais de coisas boas que Deus dá a nós.

É bonito que Jesus termine estas palavras chamando-nos à perfeição, à perfeição de Deus. É a única ocasião que Jesus associa a perfeição a uma atitude nossa: ao falar da caridade. É que a caridade é a virtude das virtudes. É a maior virtude. No fundo devemos ser perfeitos, imitar a Deus, imitar Jesus, em tudo. Porém o nosso parâmetro de perfeição é a caridade, pois a caridade, dizemos, é a forma de todas as virtudes. O que isto significa? Significa que a caridade dá forma, molda, aperfeiçoa, a todas as virtudes. De tal modo que nenhuma virtude é virtude sem a caridade. Nenhuma virtude é perfeita sem a caridade. A justiça não é perfeita sem a caridade. A sinceridade não é perfeita sem a caridade e assim por diante. Por exemplo, a sinceridade. Não existem aquelas pessoas que dizem: eu sou sincero mesmo, eu diga a verdade na cara! Não soa a algo de errado nestas palavras? De fato, não é uma atitude correta, pois falta justamente a caridade nesta sinceridade.

Quando Jesus nos chama à perfeição, está nos puxando lá para cima, não é verdade? Quando nos pede para amar os nossos inimigos, para fazer o bem a quem nos persegue, está nos puxando lá para cima. Sim, está mesmo! Deus nos ama muito e, por isso, quer que sejamos muito felizes e sabe que só seremos felizes se vamos nos tornando cada dia melhores, cada dia mais parecidos com Ele, se vamos eliminando do nosso coração toda a maldade, toda má inclinação.

É preciso fazer uma ressalva neste chamado à perfeição. Para esta ressalva, nada melhor do que estas palavras que Jesus disse um dia a um sacerdote que estava se sentindo culpado por estar falhando nas suas orações. Estas palavras estão no livro “In sinu Iesu”, no peito de Jesus. É um livro maravilhoso. Vale a pena lê-lo.

— Sinto-me culpado por não ser capaz de sustentar o que consideraria uma rotina diária mais apropriada de orações e atividades. Muitas vezes, não consigo cumprir todo o Ofício Divino (Liturgia das Horas), e isso pesa sobre mim. Perguntei a Nosso Senhor o que deveria fazer.
Resposta de Jesus:
— Por ora, tua rotina diária é aquilo que consegues fazer. Eu te ajudarei, e minha Mãe também te ajudará, pouco a pouco e delicadamente, a realizar as mudanças necessárias. Não te deixes levar pelos sentimentos de culpa que te assaltam porque ainda não consegues viver à altura do ideal que estipulaste para ti. Não estou pedindo que sejas fiel a um ideal; peço-te apenas que sejas meu amigo e vivas a todo momento na graça da minha amizade divina. Todo o resto te será dado por acréscimo. A perfeição é o fruto da minha amizade, não uma condição para ela. Tu e muitos outros como tu vos confundis com isso. Minha amizade não é merecida, não é algo que tu conquistas segundo os padrões de perfeição que estipulaste para si. Minha amizade é completamente gratuita. Ela é o dom do meu Sagrado Coração e Eu a ofereço de graça. Tão poucas almas compreendem isso. Tu te santificas quando vives em minha amizade — todo o resto é secundário. Portanto, ama-me e crê em meu amor incondicional por ti. Confia em mim. Mostra-me tua confiança em minha benevolência misericordiosa, especialmente quando experimentares fraqueza, vergonha ou o medo, e Eu renovarei a graça do meu amor em teu coração. Eu te sustentarei com o dom da minha presença imutável. Eu sou o amigo que nunca te abandonará — permite que isto te seja o bastante.

Lição: Ver todo ser-humano como nosso irmão, amando a todos, mesmo aqueles que nos fazem o mal e que vivendo assim, ajudemos Jesus a instaurar na terra a “civilização do amor”.

CARIDADE: AMAR NOSSOS INIMIGOS

You may also like

SANTÍSSIMA TRINDADE: AMAR CADA UMA DAS TRÊS PESSOAS
EVANGELHO - Mt 28, 16-20 Os onze discípulos foram para a Galileia, ...
CARIDADE (18): COMPREENDER (2)
EVANGELHO - Mc 9, 30-37 Naquele tempo, Jesus e seus discípulos ...
CARIDADE (17): COMPREENDER (1)
EVANGELHO - Jo 16, 5-11 Naquele tempo, disse Jesus aos seus ...
NOSSA SENHORA: DOR DIANTE DO SEU FILHO MORTO
EVANGELHO - Mt 28, 1-10 Depois do sábado, ao amanhecer do primeiro dia ...
CONFISSÃO: MELHOR PREPARAÇÃO PARA A PÁSCOA
EVANGELHO - Mt 26, 14-25 Naquele tempo: Um dos doze discípulos, ...
DOMINGO DE RAMOS: COMEÇA A SEMANA
EVANGELHO – Mt 26, 14 – 27,66 Hoje o Evangelho é bastante longo, pois ...
SÃO JOSÉ: NOSSO PAI, SUA SANTIDADE
EVANGELHO – Mt 1, 16.18-21.24a Jacó gerou José, o esposo de Maria, da ...
CARIDADE: DIVISÕES NA FAMÍLIA
EVANGELHO - Lc 11, 14-23 Naquele tempo: Jesus estava expulsando um ...
PERDÃO: CAMINHOS PARA ELE
EVANGELHO - Mt 18, 21-35 Naquele tempo: Pedro aproximou-se de Jesus e ...
SALVAÇÃO: DOLOROSO APELO DE JESUS
EVANGELHO - Mt 21, 33-43.45-46 Naquele tempo, dirigindo-se Jesus aos ...
Page 1 of 24
Rolar para o topo