CARIDADE (11): APOSTAR

EVANGELHO – Lc 17, 7-10

Naquele tempo, disse Jesus: Se algum de vós tem um empregado que trabalha a terra ou cuida dos animais, por acaso vai dizer-lhe, quando ele volta do campo: “Vem depressa para a mesa”? Pelo contrário, não vai dizer ao empregado: “Prepara-me o jantar, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois disso tu poderás comer e beber?” Será que vai agradecer ao empregado, porque fez o que lhe havia mandado? Assim também vós: quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: “Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer”.
– Palavra da Salvação
– Glória a vós, Senhor

Olhar para Jesus:
no Evangelho de hoje, o Senhor nos mostra um caminho mais profundo de conhecimento próprio: saber que vivemos para servir. Estamos chamados para nos identificarmos com Cristo, e não devemos esquecer que “o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir”.

Se tivermos consciência de que vivemos para servir, quando o dia chegar ao fim e virmos que ajudamos e estivemos disponíveis para as necessidades dos outros, podemos concluir como o que Jesus nos diz hoje “somos servos, então fizemos o que devíamos fazer”.

Ser cristão significa aprender do Senhor, tentando seguir o seu exemplo, e Ele vai à nossa frente, ensinando-nos o serviço. Depois de lavar os pés dos doze, Ele diz “dei-vos o exemplo, para que façais assim como eu fiz para vós (…). Já que sabeis disso, sereis felizes se o puserdes em prática”.

O exemplo de Jesus pode nos iluminar para entender a vida como serviço, viver para amar, e amar é servir. Podemos imitar o Senhor e servir em dezenas de pormenores concretos no dia-a-dia que tornam agradável a vida das pessoas com que convivemos ou trabalhamos. Desde a realização cuidadosa e detalhada do nosso trabalho profissional até rezar pelas pessoas que precisam da nossa oração. Se entendermos a vida desta maneira, seremos felizes, com uma nova felicidade que enche nosso coração.

Continuando nossa série sobre a caridade, hoje gostaria de falar sobre uma característica de quem ama: apostar nas pessoas.

Vamos pensar em Cristo e nos apóstolos. Deus vê melhor do que ninguém a miséria do nosso coração. Todos os apóstolos, como todos nós que somos pecadores, tinham as suas misérias. Pedro era impetuoso, não pensava muito, agia de bate-pronto. Era covarde. Era o famoso “bom de boca”. Prometia muito, mas depois fazia pouco. Prometeu que não ia abandonar Nosso Senhor e, logo depois, o abandonou. Bastou sentir o medo de uma mera criada e já sucumbiu.

Jesus podia ficar preso a estas misérias e decepcionar-se com ele. No entanto, via também com toda profundidade o tamanho imenso do seu coração. E apostou que este coração imenso ia suplantar os seus defeitos e o tornaria um grande papa e um grande apóstolo. E foi isso que aconteceu.

O mesmo poderíamos dizer de todos os outros apóstolos. E o que fez com que eles se transformassem nessas colunas impressionantes da Igreja? O olhar de Jesus de amor, e ver o fundo bom deles e apostar nas suas mudanças e melhoras.

Será que eu tenho olhado para as pessoas desta maneira? Começando por olhar com amor, com um profundo amor? Combatendo o orgulho e o egoísmo que são as principais barreiras do amor?

Como vimos ao estudar a virtude da admiração, o orgulhoso repara só na parte negativa das pessoas. E logo as despreza e diz que não prestam. O egoísta se chateia e se aborrece com os modos e os defeitos das pessoas porque atrapalham a sua vida. Nenhum dos dois sabe amar e, portanto, jamais apostarão nas pessoas. As pessoas serão só problemas para eles.

Como é gostoso apostar nas pessoas como um pai ou a mãe apostam nos filhos, como o técnico de futebol aposta num jogador que enxerga o seu talento e, apesar das críticas dos outros, lapida esta pedra bruta e a vê transformada com o tempo.

Quem olha com amor, olha as qualidades das pessoas que por vezes estão ocultas, latentes, e as traz pouco a pouco à tona. Quem olha com amor, quebra a cabeça como um bom médico a quebra para descobrir o que acontece com um paciente e como conseguir a sua cura. Quem olha com amor quebra a cabeça para tirar o melhor das pessoas e torná-las valiosas, grandes, fazendo os seus defeitos caírem como um fruto maduro ou diminuindo-os consideravelmente.

Lição: saibamos ver as pessoas como nós vemos a nós mesmos: como pessoas valiosas, como verdadeiros tesouros que, apostando, podem se transformar, tornarem-se pedras preciosas tiradas de uma pedra bruta e informe.

CARIDADE (11): APOSTAR

You may also like

CARIDADE (20): BOM-HUMOR (1)
EVANGELHO - Mt 9, 32-38 Naquele tempo: Apresentaram a Jesus um homem ...
CARIDADE (19): COMPREENDER (4)
EVANGELHO - Mt 8, 23-27 Naquele tempo: Jesus entrou na barca, e seus ...
CARIDADE (18): COMPREENDER (3)
EVANGELHO - Mt 7, 6.12-14 Naquele tempo, disse Jesus aos seus ...
SÃO JOÃO BATISTA: SUA VIDA
EVANGELHO - Lc 1, 57-66.80 Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, ...
EUCARISTIA: CORPUS CHRISTI (2)
EVANGELHO - Lc 1, 39-56 Naqueles dias, Maria partiu para a região ...
CARIDADE (18): COMPREENDER (2)
EVANGELHO - Mc 9, 30-37 Naquele tempo, Jesus e seus discípulos ...
CARIDADE (17): COMPREENDER (1)
EVANGELHO - Jo 16, 5-11 Naquele tempo, disse Jesus aos seus ...
OTIMISMO: SEU FUNDAMENTO NA FÉ (I)
EVANGELHO - Lc 24, 35-48 Naquele tempo, os dois discípulos contaram o ...
NOSSA SENHORA: FESTA DA ANUNCIAÇÃO
EVANGELHO - Lc 1, 26-38 Naquele tempo: O anjo Gabriel foi enviado por ...
ESPERANÇA (5): AMOR CARINHOSO DE DEUS
EVANGELHO - Lc 24, 35-48 Naquele tempo: Os dois discípulos contaram o ...
Page 1 of 24
Rolar para o topo